Acessoline Telecon - Impacto negativo da TV pirata para o usuário
Menu

Nossas Unidades

Impacto negativo da TV pirata para o usuário

 

Nos últimos dias, o assunto das TVs piratas vem surgindo com mais força. Várias operações de autoridades se intensificaram e estão com resultados evidentes. Mas não é de hoje que essa prática traz resultados negativos para seus usuários e todos em sua rede. 

 

Os impactos desse consumo estão em vários aspectos, desde o legal, que pode resultar em prisão, até a exposição de dados confidenciais na rede. É preciso ter muita cautela sobre esse assunto e entender no que cada um pode resultar. 

Ataques

 

Uma das principais consequências do consumo das TVs piratas, são os possíveis ataques em que o usuário fica exposto. Seus dados ficam vulneráveis às invasões de hackers e facilmente acessíveis, tendo todas suas informações pessoais desprotegidas. Não somente o usuário que consumiu através do sinal ilegal fica sujeito a esse tipo de exposição. Todos que estão conectados na sua rede de wi-fi ficam livres para o acesso de pessoas não autorizadas aos seus dados. 

 

Segundo a Anatel, o uso desse tipo de equipamento pode resultar em: 

 

Explosões e choques; 

 

Contaminação por materiais tóxicos; 

 

Exposição a campos eletromagnéticos acima dos limites recomendados pela OMS (Organização Mundial de Saúde); 

 

Acesso e roubo de dados pessoais das pessoas que compartilham a mesma rede doméstica (desde informações financeiras a arquivos de mídia).

 

Impostos deixam de ser recolhidos

 

Com base em dados da Anatel e do IBGE, a estimativa é de que o impacto financeiro da pirataria de TV por assinatura seja de R $15,5 bilhões por ano, dos quais R $2 bilhões em impostos que os governos deixam de arrecadar.

No ano passado, as ações de autoridades públicas se intensificaram, com a participação de diversos órgãos: Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), Ancine (Agência Nacional do Cinema), Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ministério Público, Polícia Civil, Polícia Federal e Receita Federal.

Somente nos portos do Rio de Janeiro foram apreendidas, desde 2020, cerca de 1 milhão de TV Box piratas – decodificadores que desbloqueiam ilegalmente o acesso a canais pagos. Segundo a polícia, essas apreensões geraram um prejuízo de mais de R $470 milhões ao crime organizado.

Suspeitas de mineração

Segundo Wilson Wellish, superintendente de fiscalização da Anatel afirmou ao site TeleSíntese, que muitos aparelhos também usam a energia elétrica dos consumidores para realizar a mineração de criptomoedas. Ele explica que muitos dispositivos do tipo possuem um hardware mais potente do que o exigido pelas aplicações que oferecem, indício de que ele pode estar sendo usado para atividades além das que são prometidas.

Wellish afirma que a intenção da Anatel é elaborar um relatório até o final de agosto e, a partir disso, colocar o material apresentado para consulta pública. A intenção é criar documentações feitas por um órgão técnico e sem viés que devem facilitar a busca e a apreensão de novas remessas dos produtos — não homologados pela agência, eles contribuem para a pirataria audiovisual e muitas vezes são resultados de contrabando.

No final de maio, a Anatel enviou às principais empresas brasileiras que atuam com o sistema de marketplace o pedido para elas eliminarem de seus catálogos produtos não homologados. Além de trazer problemas à segurança dos consumidores, os dispositivos também podem representar riscos à vida graças a baterias defeituosas ou carregadores que não possuem as proteções devidas para operar com as redes elétricas brasileiras.

O usuário pode ser preso por furto de sinal

Segundo a Lei Geral das Telecomunicações, no artigo 183, tanto o usuário quanto o distribuidor do sinal clandestino, cometem o mesmo crime, ou seja, o consumidor pode pagar até R $10 mil em multa. Além disso, há chances de ser detido, ficando de seis meses a quatro anos na prisão.

Assim, na tentativa de barrar os sinais ilegais, as empresas de TV por assinatura estão investindo cada vez mais em recursos tecnológicos. Por tanto, há um foco no desenvolvimento de softwares mais avançados para a proteção. Como você viu, a pirataria de TV pode gerar mais prejuízos do que se imagina. Logo, para manter a sua segurança e de todos em sua casa, dê preferência para os serviços legalizados.

A pesquisa da ABTA apontou que 33 milhões de brasileiros, ou 27,2% dos internautas com mais de 16 anos, consomem conteúdo de TV por assinatura por um ou mais meios piratas. O levantamento foi feito pela Mobile Time/Opinion Box, em março deste ano.

Impacto aos provedores

O alto consumo de banda que os dispositivos ilegais proporcionam geram vários gargalos de rede, segundo relatos de pequenos provedores. Com um pacote de 100 mega, um cliente sem serviço ilegal de TV consome aproximadamente um mega. Com a pirataria, esse número aumenta para quatro mega.

É um serviço que consome até três vezes mais banda do que um streaming. Inclusive, vale lembrar que a Anatel se reuniu com diversas plataformas e pediu uma redução na qualidade de transmissão.

A ideia é justamente evitar que o alto consumo de empresas como Netflix, Globoplay, Amazon Prime Vídeo e outras sobrecarreguem a infraestrutura de internet brasileira.

Entretanto, as empresas de streaming, assim como o YouTube, do Google, possuem um sistema que espalha cópias de cada conteúdo. Trata-se do recurso CDN, que tem servidores alocados próximos a pontos de consumo.

Uma estratégia que não sobrecarrega prestadoras de internet fixa. Já uma TV pirata como a “SKY Gato” utiliza servidores de países com regras mais brandas e o tráfego vem do exterior. A prática configura um tipo de link mais caro para as empresas.

O uso das TVs piratas trazem vários impactos negativos, não somente para o usuário, mas também para quem utiliza o mesmo sinal. Cada vez mais é preciso instruir o cliente a ter cautela na hora de comprar um produto ou serviço que seja obtido de fonte não confiável. Os prejuízos podem ser dos mais variados, desde do financeiro ao vazamento de informações confidenciais, por isso cuidado e informação são sempre necessários. 

 

Fonte:

https://www.uol.co

m.br/tilt/noticias/redacao/2021/06/13/mais-de-33-milhoes-de-brasileiros-usam-gatonet-veja-os-riscos-da-pratica.htm

 

https://www.telesintese.com.br/pirataria-desvia-r-2-bi-de-impostos-por-ano-calcula-a-abta/

 

https://canaltech.com.br/pirataria/anatel-cria-grupo-de-trabalho-para-estudar-e-banir-as-tv-box-piratas-188212/

 

https://fibradosnarede.valenet.com.br/perigos-da-pirataria-de-tv-para-os-usuarios/

 

https://gps.pezquiza.com/receptores-2/7-perigos-que-voce-corre-ao-usar-um-tv-box-pirata-e-o-kodi/

 

Veja também:

 

 Compartilhar
 Tweetar
0 Comentários

Comentários