Acessoline Telecon - Veja prós e contras de comprar um computador com placa de vídeo onboard
Menu

Nossas Unidades

Veja prós e contras de comprar um computador com placa de vídeo onboard

 

É muito comum, na compra de um novo computador ou notebook, que se pense no desempenho da máquina com jogos e programas mais "pesados". Muitas vezes, esses aparelhos não contam com uma placa de vídeo dedicada, mas uma placa onboard, ou seja, integrada ao processador do computador. Será que um computador com uma placa assim vale o investimento ou é melhor ir atrás de um PC com placa dedicada? Conheça alguns dos prós e contras abaixo.

Evitando os altos valores de placas gráficas separadas, surgiram mobos com placas de vídeo integradas, chamadas “onboard”. Essas placas compartilham o processamento gráfico com o chipset comum da placa mãe, o que gera vantagens e desvantagens ao usuário, dependendo do tipo de uso desejado.

 

Computador mais barato

Na hora de comprar um novo computador, seja ele um desktop ou notebook, é possível dizer que um dos componentes mais caros é a placa de vídeo. Em alguns casos, um computador pode ganhar mais de mil reais no seu valor total apenas com a inclusão de um modelo em particular.

Com o uso de placas onboard, esse número cai drasticamente, já que ele utiliza o mesmo chipset de processamento do computador. Uma boa pedida para quem deseja um computador ou notebook por um valor mais em conta.

 

Menos uso de energia

Com a instalação de placas de vídeos dedicadas, o aumento do uso de energia pelo computador é considerável, já que esse tipo de componente tende a realizar grandes  processamentos para gerar gráficos mais complexos.

Por utilizar do mesmo espaço de processamento do chipset, placas onboard acabam compartilhando do seu sistema de resfriamento e uso de energia, o que permite, no caso de notebooks, melhor uso de espaço interno e menor retenção de calor.

 

Baixo desempenho gráfico

Aqui mora o maior problema de placas de vídeo onboard. Apesar de muitos modelos mais recentes conseguirem realizar um trabalho aceitável em tarefas que demandam processamento gráfico, placas onboard tendem a apresentar um desempenho muito abaixo do alcançado por placas de vídeo comuns.

Por compartilhar o processamento com a máquina, a placa onboard abre mão do seu desempenho para não comprometer outras funções do computador. Por causa disso, jogos e outros programas que demandam gráficos mais potentes acabam rodando mal nesses computadores.

Modelos mais recentes, criados pela NVIDIA, Intel e AMD melhoraram bastante nesse quesito, podendo rodar, de maneira bem modesta, jogos mais pesados, mas a qualidade apresentada quase não têm comparação frente a uma placa de vídeo dedicada.

No final das contas, as vantagens e desvantagens se resumem exatamente ao estilo de uso que você pretende ter com o seu computador ou notebook. Se você quer uma máquina para checar seus e-mais, acessar a internet, ouvir músicas, editar textos ou ver vídeos, uma placa onboard deve ser mais do que suficiente para você.

Caso você queira um PC para usar programas que demandam de poder gráfico, jogos de última geração ou assistir filmes em alta definição, é aconselhável procurar um computador com uma placa de vídeo dedicada.

 

Fonte: techtudo

Veja também:

 

 Compartilhar
 Tweetar
0 Comentários

Comentários